Mais mulheres da classe média vão ao atacarejo

As mulheres de classe média de São Paulo passaram a ir ao atacarejo com mais intensidade de 2014 para cá, aponta uma pesquisa da consultoria Quorum. Há dois anos, 7% delas usavam esse tipo de comércio como o principal para as compras domésticas. Hoje, essa porcentagem é de 24%.

Pouco mais da metade (53%) das frequentadoras dizem que o preço é o maior benefício que encontram. “O consumidor migrou para defender seu poder de compra”, diz Ricardo Roldão, sócio da rede que leva seu sobrenome e presidente da Abaas (Associação Brasileira dos Atacadistas de Autosserviço).

O movimento de ganho de clientes empurrados pela crise segue em 2017, segundo estimativa da entidade. Os perdedores são mercados de médio porte, diz Claudio Silveira, presidente da Quorum. “A tendência é que eles fechem lojas”, afirma.

 

Redação

Redação

Leia diariamente as notícias mais impactantes sobre varejo, consumo, franquias, shopping center e foodservice, entre outros temas, no Brasil e no mundo.

Relacionados Posts

Próxima Postagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

REDES SOCIAIS

NOTÍCIAS

Bem vindo de volta!

Entre na sua conta abaixo

Recupere sua senha

Digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.

Add New Playlist

%d blogueiros gostam disto: