Agilidade, liderança, diversidade e empoderamento foram alguns dos insights de live promovida pela Gouvêa

Desde o início de abril a série de lives Mercado & Consumo em Alerta tem trazido grandes nomes de diferentes setores da economia para debater as melhores práticas adotadas por cada um dos segmentos diantes da crise. E não só isso, os debates contribuem ainda com insights que são gerados para estimular e inspirar o público que atua em diferentes frentes.

Nesta manhã (1º de julho), estiveram reunidos Renata Moraes, CEO do Grupo Grupo CRM (Kopenhagen e Brasil Cacau); Jose Roberto Meister Müssnich, diretor/CEO do Atacadão; e Sandro Benelli, presidente da Veran Supermercados. Veja alguns destaques trazidos por eles.

1 – Agilidade é uma questão de postura da liderança e fortalecimento da delegação. Empoderamento de equipes proporciona muita agilidade aos negócios em momentos incertos e caóticos;

2 – A crise e o distanciamento social na verdade criaram proximidade em todos os sentidos. Este momento trouxe como ponto positivo as empresas comprometerem-se com suas comunidades. O marketing 3.0 que contempla o envolvimento com causas expande-se no Brasil de forma promissora;

3 – Liderança sempre deve ser por meio do exemplo e na crise ainda mais. Comandar colaboradores livres é fácil, é só mostrar o caminho com o respeito pelo conhecimento. Foco na atividade profissional, em descobrir soluções com o saber fazer, com quem domina o conhecimento.

4 – Diversidade fortalece organizações. Diversidade fortalece comunidades, Diversidade fortalece sociedade. A multiplicidade de forma de pensamentos antecipa problemas e cria soluções criativas;

5 – A felicidade dos colaboradores e a confiança depositada na equipe são transmitidas aos clientes. O cuidado com as pessoas é mobilizador. O que uma empresa cria em seu ambiente interno, emana para os clientes.

Enquete virtual

Em todas as edições a Mercado & Consumo promove uma enquete com a audiência da live. Hoje o assunto foi tecnologia e como as empresas estão investindo nessa área. Praticamente empatados ficaram as opções que indicavam antecipar investimentos previstos para os próximos anos (31%) e identificar startups e parcerias para viabilizar projetos (30%). As demais respostas seguiram a ordem de liberar recursos mediante resultados (23%), diminuir drasticamente aquilo que foi planejado (10%) e realizar o previsto (7%).

* Imagem reprodução

Sair da versão mobile