fbpx

Oferta de fretes tem queda de 12% no 1º quadrimestre de 2020

A pandemia do novo coronavírus afetou o mercado de logísticas e transportes, ocasionando uma queda de 12% na oferta de fretes no primeiro quadrimestre de 2020, na comparação com os últimos quatro meses de 2019. Este é um dos dados de levantamento inédito feito pela FreteBras, maior plataforma online de transporte de cargas da América do Sul.

O estudo mostrou uma queda abrupta de 43% em abril quando comparado com março de 2020, mês que marcou o início da pandemia.

“A redução de cargas foi uma consequência principalmente de uma diminuição forte da produção e demanda de alguns setores, como em industrializados”, observa Bruno Hacad, diretor de operações da FreteBras. “Os fretes para o setor agropecuário se sobressaíram nesse início de ano em relação ao final do ano passado, com um crescimento de 10%. A soja e o milho, que tiveram safras recordes, foram os principais responsáveis por essa alta”, acrescenta.

Na contramão de produtos de primeira necessidade, o estudo indicou que as ofertas de fretes de produtos industrializados caíram 20% ao comparar o último quadrimestre de 2019 com o primeiro quadrimestre de 2020. Papel e celulose e máquinas e equipamentos foram os grandes responsáveis por essa redução, refletindo a queda na demanda por bens de produção.

Preço dos fretes caem

O preço médio dos fretes diminuiu 3,3% nesse início de ano. Puxando a fila de fretes com preço médio mais elevados estão produtos do agronegócio, como batata, arroz e feijão, e produtos alimentícios industrializados. Levando em conta o tipo de veículo, Rodotrem, Bitrem e Carreta LS apresentam as ofertas com preços mais elevados.

Cresce uso da tecnologia

O levantamento registrou ainda um crescimento de 47% no número de caminhoneiros utilizando meios digitais para busca de fretes no período analisado. Além disso, o estudo constatou um aumento de caminhoneiros buscando ativamente por cargas; quase 50% a mais no mesmo período.

Na virada do ano, houve elevação na base de caminhoneiros utilizando meios digitais da ordem de 12%. A carroceria Baú Frigorífico foi o que registrou maior crescimento, com 17%, seguido pelo Baú, com 13% e pelo Sider, com 10%.

Construção civil ocupa rotas de fretes

Com relação às principais rotas dos fretes publicados, Arcos (MG)/Guaíra (PR) liderou o crescimento com 424% em uma comparação dos primeiros quadrimestres de 2019 e 2020.

De acordo com o levantamento, o segmento de construção foi o responsável por esse crescimento, principalmente por conta das ofertas de fretes de cimento. Já a rota que registrou pior desempenho, com uma queda de 9%, foi Curitiba (PR)/Rio de Janeiro (RJ), resultado de uma retração considerável em produtos siderúrgicos e papel e celulose.

* Imagem reprodução

Redação

Redação

Leia diariamente as notícias mais impactantes sobre varejo, consumo, franquias, shopping center e foodservice, entre outros temas, no Brasil e no mundo.

Relacionados Posts

Próxima Postagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

REDES SOCIAIS

NOTÍCIAS

Bem vindo de volta!

Entre na sua conta abaixo

Recupere sua senha

Digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.

Add New Playlist

%d blogueiros gostam disto: