“Quando a economia não vai bem a tendência é da venda direta melhorar”, aponta gerente Nacional de Vendas da Loghaus

A venda de produtos de moda à distância sempre foi o negócio do Grupo Loghaus, de Blumenau. Há mais de 35 anos, começou com catálogos, e há 12 anos incluiu as vendas online por meio do portal Posthaus, líder nacional em vendas de vestidos pela internet. A revista Quatro Estações, para compras em casa, também tem seu portal.

A Loghaus é detentora das marcas Quintess (moda feminina), Actual (moda masculina), Bonprix (moda feminina), Rosalie (moda evangélica), Marguerite (moda plus size) e Perfecta (calçados). Em 2019 abriu seu o e-commerce para atacado, chamado Sou Lojista, no qual comercializa peças de outros fabricantes, além das marcas próprias da Loghaus. Segundo Marion Gonçalves gerente Nacional de Vendas da Loghaus, que participou nesta manhã de do Talx by Posigraf, de maio pra junho a empresa registrou um crescimento de 70% do seu orçamento planejado – as vendas por catálogo representam 80% dos negócio.

Diante da crise causada pela Covid-19, Gonçalves disse que a empresa, de imediato, pensou na segurança dos seus colaboradores e implementou todas as ações necessárias para garantir o bem-estar de todos. Ainda sobre os impactos que a pandemia causou no setor, o executivo contou que a logística foi um dos pontos de grande atenção. “Conseguir manter o ritmo de logística para que os produtos chegassem até a ponta, uma vez que a consultoras têm esse ativo como renda extra, foi um grande desafio para a empresa, mas conseguimos (e estamos conseguindo) administrar bem esse tema”, explicou.

Marion disse ainda que logística e rapidez caminham juntas. Todas as frentes envolvidas, desde o vendedor até o cliente final, sabem que existe um tempo de entrega após a conclusão da compra, mas trabalhar para surpreender o cliente é uma conquista diária na Loghaus. “Quando a economia não vai bem a tendência é da venda direta melhorar, sendo assim, precisamos melhorar nossas ferramentas para que possamos atender e fidelizar esses clientes”, explicou.

Questionado sobre as vendas via telemarketing, o executivo disse que, embora não seja um call center, as revendedoras já ativam a base delas a partir do telefone, sendo assim uma espécie de um telemarketing. “Durante a pandemia esse ativo funcionou mais ainda, por mais que tenha sido de forma mais digital. Não podemos excluir nenhum ponto de contato com o consumidor”, lembrou.

O gerente Nacional de Vendas da Loghaus falou também da importância do uso da realidade aumentada como um atrativo para os catálogos. Segundo ele, quanto mais experiência a marca proporciona ao cliente que o acessa d maneira off-line, mais inserido no universo da marca ele estará. “As marcas precisam se reinventar a todo momento, e tecnologias como a realidade aumentada entregam essa interação que o cliente busca no momento da compra”, concluiu.

* Imagem reprodução

 

Sair da versão mobile