fbpx

Segundo o diretor do Grupo Ferreira Costa, as soluções estão dentro dos negócios

No Nordeste, lojas de materiais de construção, mesmo enquadradas como atividade essencial, tiveram suas atividades suspensas em razão da pandemia. No final de maio todas elas passaram a ter autorização para funcionar com abertura de suas portas ao público. Em sua maioria, grande parte do grupo de funcionários voltou a operar normalmente, com a adoção de protocolos mais rígidos de funcionamento. Estes pontos foram expostos por Guilherme Costa, diretor superintendente do Grupo Ferreira Costa.

De acordo com o executivo, nas praças em que abriram as unidades logo após a autorização, a média era de 70% do efetivo. “Durante o isolamento, operamos com 30% do quadro na área operacional, voltados para o e-commerce e televendas. Após a implantação do atendimento eletrônico e vendas pelo whatsapp, estávamos operando com 40%”, disse. Ele contou, ainda, que vários funcionários começaram a exercer novas funções durante a pandemia, como por exemplo o time comercial que passou a atuar também no e-commerce. “Reaprendemos, nestes longos dias, a cuidar melhor da logística e fortalecer a entrega mais rápida e segura”, revelou.

Guilherme Costa disse que essa pandemia foi uma verdadeira bomba atômica que caiu na cabeça de todos e o e-commerce foi uma ferramenta que mudou o mercado. Segundo ele, o e-commerce da Ferreira Costa cresceu cinco vezes de tamanho. “Sentimos claramente uma mudança de comportamento do consumidor com o medo de não estar seguro. O fato de termos um leque de produtos à disposição foi levando o consumidor a usar ainda mais a internet e o drive-thru para efetuarem suas compras” e completou: “as necessidades fizeram com que as pessoas saíssem de casa par comprarem.”

Para concluir, o executivo comentou também que esse novo comportamento de compras é algo que vai permanecer após a pandemia, mas que o e-commerce não vai tirar os clientes das lojas físicas, uma vez que eles ainda têm em seu hábito a necessidade de ir até o local de vendas para sentir o produto. Para, ele, a retomada deve ser feita através da conscientização para que todos se sintam seguros e voltem para suas casas seguros.

* Imagem reprodução

Redação

Redação

Leia diariamente as notícias mais impactantes sobre varejo, consumo, franquias, shopping center e foodservice, entre outros temas, no Brasil e no mundo.

Relacionados Posts

Próxima Postagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

REDES SOCIAIS

NOTÍCIAS

Bem vindo de volta!

Entre na sua conta abaixo

Recupere sua senha

Digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.

Add New Playlist

%d blogueiros gostam disto: