Greve dos Correios: mais de 85% dos pequenos lojistas dependem dos serviços

Greve dos Correios

Os funcionários dos Correios em todo o país entraram em greve na noite da última segunda-feira (17), por tempo indeterminado. Com a paralisação, pequenos e médios e-commerces podem ser afetados com o prazo do envio de seus produtos. De acordo com a Loja Integrada, plataforma de criação de lojas virtuais, cerca de 86% dos lojistas utilizam os Correios como forma principal de frete, mas também utilizam transportadoras (28%) e motoboy (24%).

Para Pedro Henrique Freitas, CEO da Loja Integrada, o ideal é o lojista garantir parceria com vários tipos de entregas. “A dependência de um só serviço pode prejudicar o sistema logístico do e-commerce. Hoje existem diversas transportadoras digitais com preços competitivos e qualidade de entrega. Minha dica é: tenha Correios, motoboy, transportadora, retirada em loja e quantas alternativas estiverem disponíveis”, explica o executivo.

O levantamento foi realizado com quase dois mil lojistas virtuais de todo o país durante os meses janeiro e fevereiro de 2020. O especialista listou algumas dicas para os empreendedores criarem um plano de ação:

1. Avise aos clientes sobre a greve

Por conta da paralisação, provavelmente os últimos pedidos despachados ficarão aguardando o envio, segundo Freitas. “Escreva aos seus clientes informando sobre a greve e que o prazo de entrega será maior do que o combinado”.

2. Aumente o prazo de entrega

Ainda não existe uma data para início e encerramento da greve, então o executivo recomenda que o lojista aumente o prazo de entrega em cerca de sete dias.

3. Habilite forma alternativa de envio

Segundo Freitas, há alternativas que integram outras transportadoras à sua loja, como a Melhor Envio e a Uello (acima de 20 entregas por dia).

Com informações do portal E-commerce Brasil.
* Imagem reprodução

Sair da versão mobile