Black Friday: eletrônicos, telefonia e informática são categorias mais procuradas

Black Friday: eletrônicos, telefonia e informática

Categorias de eletrônicos, telefonia e informática prometem ter destaque na Black Friday deste ano, mostra pesquisa realizada pelo Opinion Box em parceria com a Social Miner. Além disso, os setores de beleza, perfumaria, moda e saúde também prometem registrar boas vendas.

Segundo o estudo, na pandemia, 73% dos consumidores perceberam que comprar online pode ser muito mais prático. E essa tendência também deve vir forte neste ano, em que as compras online já representam 10% do total do varejo e o comércio eletrônico brasileiro deve fechar o ano com faturamento de mais de R$ 100 bilhões.

Em 2019, o faturamento dos e-commerces em novembro alcançou a marca de R$ 11,95 bilhões, com crescimento de 32,8% em relação ao ano anterior. Para Felipe Dellacqua, vice-presidente de Vendas e sócio da VTEX, a Black Friday deste ano pode ser duas vezes maior que a edição do ano passado.

“A Black Friday deste ano pode ser a maior da história em termos de volume, de quantidade de pedidos e de crescimento em relação ao ano passado. Também é esperado que tenhamos muitos novos consumidores comprando pela primeira vez em canal digital”, comenta Felipe.

Segundo ele, neste ano foram mais de 5 milhões novos consumidores comprando pela primeira vez pela internet, o que mostra que essa edição do evento será muito mais digital.

“Com certeza, as pessoas farão compras no varejo físico, mas o digital deve atrair maior volume de compras neste ano, porque muitas pessoas estão evitando tumultos e filas em lojas devido ao novo coronavírus. Além disso, vários estabelecimentos estão com limitação da quantidade de pessoas dentro das lojas. Isso faz com que o canal digital seja a preferência dos consumidores”, diz.

Categorias em alta para o período

Para o especialista em comércio digital, as categorias mais procuradas serão eletrônicos, telefonia e informática. “A Black Friday é o momento da venda de produtos de grande desejo e alto valor agregado. Por exemplo, eletrônicos como televisão, home theater, smartphones, acessórios, etc. Essas categorias são oportunidades para consumidores trocarem produtos ou comprarem novos por preços mais acessíveis”, diz.

As categorias de beleza, perfumaria, moda e saúde também prometem ter destaque na Black Friday. “Com o isolamento social, muitas mulheres deixaram de se maquiar tanto e produtos de maquiagem venceram. Então, a Black Friday é uma ótima oportunidade para adquirir esses produtos. Moda é um setor que sempre vai bem também ainda mais com novos lançamentos. As pessoas acabam comprando pensando nos eventos do ano que vem”, afirma.

Outro motivo para essa Black Friday ser maior que as outras é também o fato de que pessoas que não perderam emprego nem tiveram redução de renda estão com capital acumulado para gastar em produtos, já que deixaram de gastar com turismo e entretenimento.

“Com a segunda onda da Covid-19 na Europa e a falta de vacina, a insegurança aumenta ainda mais. Fica difícil, por exemplo, planejar uma viagem para o Carnaval, pois não sabemos como estará a situação até lá. Então, as pessoas que mantiveram seus empregos e são de média ou alta renda têm guardado dinheiro ou investido na bolsa ou ainda estão se programando para gastar com produtos”, complementa.

Imagem: Reprodução

Sair da versão mobile