Ambev cobra medidas do Carrefour sobre morte de homem em Porto Alegre

A fabricante de bebidas Ambev publicou uma nota no perfil oficial do LinkedIn sobre o caso do homem morto por seguranças de uma loja do Carrefour em Porto Alegre (RS). A empresa cobrou “medidas imediatas e efetivas” sobre o caso e se comprometeu a trabalhar junto com parceiros “para promover mudanças estruturais com urgência”.

Nesta sexta-feira (20), o CEO Global do Carrefour, o francês Alexandre Bompard, também se pronunciou sobre o caso pela internet. No Twitter, ele postou mensagens dizendo que as medidas tomadas pelo Carrefour Brasil são insuficientes e pedindo uma “revisão completa das ações de treinamento dos colaboradores e de terceiros”.

João Alberto Silveira Freitas, um homem negro de 40 anos, foi morto na noite de quinta-feira por dois seguranças de uma loja de Porto Alegre (RS). O primeiro resultado da necropsia aponta que a causa da morte foi asfixia. Os agressores foram presos, suspeitos de homicídio doloso.

A nota da Ambev diz que a empresa não tolera “qualquer ato de racismo ou violência”. “Estamos em luto pelo assassinato brutal de João Alberto Silveira Freitas. Para todos nós, nossos funcionários e a comunidade negra, a tristeza, frustração e medo gerados por atos recorrentes de violência como este são profundos e pessoais.”

A fabricante de bebidas se disse, ainda, comprometida a ajudar “a criar mudanças positivas e um mundo onde a diversidade e o respeito sejam a norma”. “Convocamos, hoje mesmo, o Carrefour, e pedimos medidas imediatas e efetivas. Temos o compromisso inegociável de promover a equidade racial em todo o nosso ecossistema, o que inclui os nossos parceiros, clientes e fornecedores, e estamos prontos para trabalhar junto com eles para promover mudanças estruturais com urgência.”

Imagem: Divulgação

Sair da versão mobile