Empoderamento digital: Luckau, marca de chocolates zero açúcar, cresce 356% durante a pandemia

Luckau

Não há quem negue o fato de que ser empreendedor no Brasil não é fácil. E esse fato se tornou ainda mais verdadeiro em 2020, ano em que a pandemia de Covid-19 trouxe mudanças globais que afetaram o mercado econômico como um todo. Os empreendedores, independente do porte de suas empresas, se viram frente a um grande desafio: o isolamento social, que demandou adaptações e reajustes constantes para que os negócios pudessem sobreviver em meio as dificuldades.

Mas, se o cenário enfrentado parece desanimador, existem alguns casos que nos mostram, com um olhar de esperança, que é possível sim vencer as adversidades que a pandemia trouxe e encontrar o crescimento. Esse é o caso da Luckau, que conquistou o empoderamento digital e um crescimento de 356% durante os meses do ápice da primeira onda.

Fundada em 2018, a Luckau é uma marca de chocolates zero açúcar que surgiu de um sonho, colocado em prática após mais de seis meses de pesquisa e estudo de mercado. E não é só isso. Idealizada por Raoni Ribas Costa (32), a jornada de consolidação da Luckau exigiu muita perseverança.

Formado em Administração, aos 21 anos o fundador da empresa se mudou de Suzano (São Paulo) em 2010, em busca de alcançar o objetivo de se tornar um empreendedor. Em suas passagens como consultor financeiro em mais de três empresas na capital, adquiriu, ao enfrentar os desafios que surgiram, a resiliência e o conhecimento necessários para poder, em 2018, dar início a empreitada.

A paixão pelo chocolate foi instantânea, e mais de três tentativas foram necessárias para que o recheio único do sabor de Luckau fosse escolhido. “Eu tinha certeza da qualidade do produto, pois estava acompanhando todo o processo, mas sabia que seria necessário fortalecer a marca para que o público olhasse para nós”, conta Raoni.

Investimento que deu certo

O fortalecimento se deu através de investimento em embalagens diferenciadas e marcantes, e, se no primeiro ano de vida a marca foi criando seu nome entre lojistas e revendedores, em 2020 o empoderamento digital foi o foco. “Em março, nós já havíamos crescido o nosso faturamento, mas então a pandemia chegou, e nossos
revendedores estavam desistindo dos pedidos pelo receio de não vender”, relembra. “O faturamento do nosso e-commerce era de 10%, então iniciamos ações de marketing, em conjunto aos lojistas, para que todos que estivessem conosco pudessem crescer.”

A resposta veio ainda no início da pandemia, quando um dos produtos Luckau viralizou ao ser divulgado por uma página focada em novos produtos no mercado. “Chegamos a aumentar em 40% nossas vendas do e-commerce em plena pandemia. Passamos a direcionar nosso foco para o engajamento nas redes sociais, tomando os resultados como base para lançamento de novos produtos. Como empreendedor, entendo que minha maior defasagem é o entendimento do marketing, e por isso fui buscar orientações especializadas.”

Planos para 2021

Raoni afirma que a Luckau não vai parar em 2021. “O mundo está mudando, então será que vale a pena entregar só um chocolate convencional? A nossa meta é ser uma referência em chocolate saudável, mudar a forma como o consumidor conhece o chocolate, para que ele entenda que é possível, sim, consumir algo delicioso e saudável,
com qualidade. Estamos sempre tentando melhorar para entregar saúde de uma forma acessível”.

Uma boa relação e a construção de uma rede de confiança com os lojistas. O investimento no marketing para um empoderamento digital. E a certeza da entrega de um produto de qualidade, produzido por quem está disposto a se adaptar e se inovar.

Esses são os pilares do crescimento da Luckau. Sobre o futuro, Raoni revela que há a expectativa da construção de centros de distribuição pelo país, visando baratear e diminuir o prazo de frete para levar os chocolates zero açúcar da Luckau para cada vez mais pessoas. Em um ano de incertezas marcadas pela Covid-19, há a certeza de que a Luckau veio para ficar, e o seu sabor vai conquistar muitos consumidores em busca de uma vida mais saudável.

Imagem: divulgação

Sair da versão mobile