fbpx

Lucro líquido da JHSF, dona do Cidade Jardim e do CJ Shops, cai 10,4% no 4º trimestre

A JHSF Participações, dona de negócios de luxo como o Shopping Cidade Jardim, os restaurantes Fasano e o complexo de aeroporto e outlet Catarina, entre outros, divulgou seu balanço nesta quinta-feira (18).

O lucro líquido atingiu R$ 189,2 milhões no quarto trimestre de 2020, o que representou uma queda de 10,4% ante o mesmo período de 2019. No acumulado do ano, a companhia obteve lucro líquido de R$ 638,9 milhões, aumento de 98,6% em relação ao ano anterior.

O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) foi de R$ 206,6 milhões no trimestre, um recuo de 33,2%, e totalizou R$ 837,5 milhões no ano, avanço de 33,5%. A receita líquida alcançou R$ 394,6 milhões no trimestre, alta de 111,3%, e R$ 1,171 bilhão no ano, expansão de 84,4%.

Expansão do Cidade Jardim e do Catarina 

A queda nos resultados na comparação trimestral é explicada, principalmente, pela contabilização das Propriedades Para Investimento (PPI), que medem o valor dos empreendimentos do portfólio, mas sem efeito no caixa.

No fim de 2020, essa rubrica gerou despesa de R$ 14,7 milhões pela transferência de participação nos shoppings Bela Vista e Ponta Negra para o fundo XP Malls, conforme acordo feito entre as partes. Um ano antes, houve uma receita de R$ 254 milhões pela incorporação de projetos em andamento, como obras de expansão dos shoppings Cidade Jardim e Catarina Outlet.

Sem contar o efeito contábil da PPI, a JHSF reportou Ebitda ajustado de R$ 240,1 milhões no trimestre, um salto de 225,8%. No ano foi a R$ 695 milhões, aumento de 245,4%. A melhora nos resultados foi puxada pela maior atividade de lançamento e vendas de residências de luxo.

A companhia teve despesas operacionais de R$ 69,5 milhões no trimestre, alta de 40,8%, devido a pagamento de bônus, despesas com doações e suporte ao combate à pandemia e despesas sem efeito caixa de cerca de R$ 7 milhões com provisões e apropriação de stock options.

O resultado financeiro líquido gerou uma receita de R$ 4,1 milhões no trimestre, ante uma despesa de R$ 18,6 milhões um ano antes.

Destaque para a incorporação imobiliária

Mais uma vez, o segmento de incorporação imobiliária carregou os números da JHSF. Esta divisão gerou Ebitda de R$ 215,8 milhões no trimestre, uma disparada de 458%. As vendas de imóveis subiram 192,7%, impulsionadas pelos lançamentos nos meses anteriores dos empreendimentos Fazenda Boa Vista, Fasano Cidade Jardim e Boa Vista Village. A companhia observou que a venda de terreno no Parque Catarina para XP Investimentos, no valor de R$ 98,6 milhões, não foi registrada no exercício 2020, e será reconhecida nos próximos trimestres.

Outros negócios ainda carregam efeitos negativos provocados pela pandemia, mas mostraram melhoras. Na divisão de renda recorrentes (shopping e varejo), o Ebitda ajustado foi de R$ 25,1 milhões, baixa de 6,8%. Pelo lado positivo, as vendas nos shoppings totalizaram R$ 874,3 milhões no trimestre, alta de 10,4%, ajudada pela inauguração do CJ Shops, nos Jardins. A taxa de ocupação do portfólio ficou em 97,8%.

Em hospitalidade e gastronomia, o Ebitda ajustado foi de R$ 5,2 milhões, retração de 53,2%. A diária média dos hotéis cresceu 2,4% e a taxa de ocupação chegou a 53,6%. Em gastronomia, o número de couverts caiu 13,8%. Já o Aeroporto Catarina apresentou Ebitda ajustado de R$ 3,1 milhões, 80% maior.

Com informações Estadão Conteúdo.
Imagem: Divulgação

Redação

Redação

Leia diariamente as notícias mais impactantes sobre varejo, consumo, franquias, shopping center e foodservice, entre outros temas, no Brasil e no mundo.

Relacionados Posts

Próxima Postagem

REDES SOCIAIS

NOTÍCIAS

Bem vindo de volta!

Entre na sua conta abaixo

Recupere sua senha

Digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.

Add New Playlist

%d blogueiros gostam disto: