Transformação digital no setor alimentício será tema de debate na próxima semana

A disponibilidade de um produto é atualmente, para grande parte dos consumidores, mais importante do que a marca dele. Assim, saber exatamente o que o consumidor quer – e também quando e onde – virou um grande desafio para as empresas. A tecnologia promete ser uma aliada nesses casos, mesmo em setores tão complexos quanto o de alimentos.

Na próxima quarta-feira (24), o assunto será debatido no webinar “Mercado&Consumo Talks: Transformação Digital no Setor Alimentício”, promovido pelo portal Mercado&Consumo em parceria com a Centric Software. As inscrições podem ser feitas gratuitamente (clique aqui para se cadastrar).

O bate-papo será conduzido pela CEO da Gouvêa FoodserviceCristina Souza, colunista do site, e contará com a participação de Silvana Balbo, diretora de Marketing do Carrefour; Guilherme Bueno, desenvolvedor de Negócios para as Américas na Centric Software; e Leticia Castilho, Centric Sr. Business Consultant. 

A Centric, plataforma americana de transformação digital que tem entre os clientes grandes marcas de moda, varejo, calçados, luxo, esportes e bens de consumo, está começando neste mês a atuar no foodservice no Brasil.

“Com o aumento das compras online, as opções de escolha cresceram muito, por isso os fabricantes e os varejistas precisam se preocupar em entregar o que o consumidor está procurando naquele ponto de venda em que ele estará. A necessidade de reação virou uma questão de sobrevivência para varejistas e donos de empresas”, diz Guilherme Bueno.

PLM, ou Product Lifecycle Management

A solução oferecida pela empresa é a Gestão do Ciclo de Vida do Produto (PLM, do inglês Product Lifecycle Management). Trata-se de uma plataforma integrada que pode substituir várias soluções que são, geralmente, desconectadas.

Assim, o PLM fornece uma “fonte única da verdade” em tempo real para a colaboração remota e os dados do produto que o coloca no centro do ecossistema digital, impulsionando um plano de sortimento inteligente que ajuda a otimizar estoque, lucratividade e a satisfação do cliente.

“É uma solução que traz não só benefícios operacionais, como ganho de tempo e melhor comunicação, como também baixo custo operacional”, explica Bueno.

Ele explica a atuação no foodservice traz desafios extras. “O setor de alimentos e bebidas é muito regulamentado, existem muitas questões legais que precisam ser observadas, até para se evitar problemas de saúde.” Mas, para Bueno, o fato de o mercado de alimentos e bebidas estar passando por grandes mudanças e por um rápido amadurecimento faz com que a tecnologia desses negócios precise crescer junto com ele.

Imagens: Reprodução e Divulgação

Sair da versão mobile