Mesmo com lojas fechadas, britânica Primark não se rende ao e-commerce

Loja da Primark fechada na Holanda

Apesar de uma queda de 30% no volume de negócios nas 16 semanas até dezembro de 2020 e da expectativa de que o fechamento das 389 lojas ao redor do mundo todo vai custar mais de € 1,1 bilhão, a varejista britânica Primark vai aumentar os preços dos produtos e continua sem a intenção de fazer vendas online.

Segundo a empresa, o e-commerce implicaria um aumento dos custos de operação, além do gerenciamento de eventuais devoluções feitas pelos clientes. Enquanto nas lojas físicas a taxa de devolução fica na casa dos 8%, nas vendas online é de 25% – chegando a 70% no varejo online de moda.

Enquanto a taxa média de retorno é de 8% para lojas físicas, isso sobe para até 25% para vendas online e até 70% para moda online. De acordo com a IMRG, a associação que representa o e-commerce no Reino Unido, 33% dos varejistas aumentaram seus preços para cobrir o custo das devoluções online.

“Embora nós examinemos modelos de negócios alternativos de tempos em tempos, não há planos imediatos para o comércio online. Mostramos nossos produtos nas mídias sociais e em nosso site, e nossos canais têm mais de 22 milhões de seguidores”, disse a empresa em nota enviada ao portal Mercado&Consumo.

Expectativa de lucro limitado 

Outra rede britânica de varejo de moda, a Next, que nos últimos anos fez uma transação bem-sucedida para o comércio eletrônico, realizou um ajuste contábil para cobrir o aumento de custo gerado pelo gerenciamento da opção “clique e retire”. A despesa aumentou de £ 0,57 por pacote para £ 0,89.

Como a Primark vende roupas a preços mais baixos do que Next, há uma expectativa de lucro muito limitado nas operações de e-commerce para a empresa.

As vendas no varejo no Reino Unido caíram acentuadamente em janeiro em meio ao fechamento de serviços não essenciais durante grande parte do mês como parte do mais recente confinamento nacional, que afetou os gastos do consumidor.

A queda foi de 8,2% em janeiro em relação ao mês anterior.

Imagem: Bigstock

Sair da versão mobile