Criador do site “Reclame Aqui” morre vítima de Covid-19 em São Paulo

Site se tornou referência por intermediar reclamações de clientes contra empresas

Maurício Vargas, fundador do Reclame Aqui

O empresário Maurício Vargas, fundador do site Reclame Aqui, morreu nesta sexta-feira (2), em São Paulo, vítima de Covid-19. Ele tinha 58 anos de idade e estava internado há mais de uma semana para tratar a doença.

“É com grande pesar que a família comunica o falecimento do querido Maurício Vargas. Ele estava internado em São Paulo para o tratamento da Covid-19. O empresário fundou em 2001 o Reclame Aqui, o maior site de reclamações e reputação de empresas do País. Maurício nasceu em Campo Grande, tinha 58 anos e deixa os pais, irmão e dois filhos”, diz nota divulgada na noite de sexta.

Criado em 2001, o site se tornou referência por reunir reclamações de clientes que tiveram problemas na compra de produtos e serviços. O Reclame Aqui faz a intermediação das reclamações e, com o tempo, passou a oferecer treinamento para empresas em busca de melhorias no atendimento.

No ano passado,  em entrevista à Mercado&Consumo, Maurício Vargas destacou que a preocupação dos consumidores com a reputação das marcas aumentou por causa da pandemia de Covid-19, e isso fez com que as próprias companhias dedicassem mais tempo – e, muitas vezes, verba – para o assunto.

“As pessoas estão ligando menos para preço e preferindo comprar de empresas com boa reputação. Isso ficou muito mais forte na pandemia. As empresas perceberam que reputação gera lide”, disse ele na ocasião.

Doença já vitimou 328 mil brasileiros

As mortes em virtude da Covid-19 no Brasil chegaram a 328.206 nesta sexta. Nas últimas 24 horas contabilizadas pelo Ministério da Saúde, foram registrados 2.922 óbitos, segundo a Agência Brasil. Entre quinta e sexta, foram 70.238 novos diagnósticos positivos. No total, 12,9 milhões de pessoas foram contaminadas pela Covid-19 no Brasil. Dessas, 11,2 milhões se recuperaram.

O balanço, divulgado diariamente pelo Ministério da Saúde, reúne as informações levantadas pelas secretarias estaduais de Saúde de todo o País.

Em geral, os registros de casos e mortes são menores nos feriados, como esta sexta, sábados e domingos em razão da dificuldade de alimentação dos dados pelas secretarias de Saúde. Já nos primeiros dias úteis seguintes, os totais tendem a ser maiores pelo acúmulo das informações de fim de semana que são enviadas ao ministério.

Imagem: Divulgação

Sair da versão mobile