fbpx

Associação Comercial de São Paulo lamenta falecimento de Bruno Covas

Tucano sofria de câncer e morreu neste domingo, aos 41 anos

A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) emitiu nota manifestando pesar pelo falecimento do prefeito da capital paulista, Bruno Covas, aos 41 anos, ocorrido neste domingo (dia 16). Bruno Covas morreu em decorrência do câncer da transição esôfago-gástrica e complicações do tratamento. O corpo do prefeito será levado para o hall do Edifício Matarazzo, sede da Prefeitura paulistana, onde será feita uma homenagem restrita a amigos e familiares, devido à pandemia.

“Ressaltamos que a ACSP sempre foi uma parceira da Prefeitura em sua gestão na elaboração e na execução de políticas públicas em defesa do empreendedorismo, do livre comércio e da iniciativa privada. Mesmo antes de ele ser prefeito, já debatíamos projetos, inclusive quando ele ocupou outros cargos públicos na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), na Câmara Federal – nas épocas em que ele foi eleito para os cargos de deputado estadual (2006 e 2010), deputado federal (2014) – e, quando vice-prefeito de João Doria, foi secretário das Prefeituras Regionais e secretário-chefe da Casa Civil”, diz a nota.

“Nossa entidade reforça que Bruno Covas tinha grande vocação para a política e se solidariza, neste momento difícil, com familiares e amigos”, complementa o documento, assinado pelo presidente da ACSP, Alfredo Cotait Neto.

FecomercioSP também se manifesta

A Federação do Comércio do Estado de São Paulo (FecomercioSP) também se manifestou. Em nota, o presidente, Abram Szajman, disse que recebeu “com profunda tristeza a notícia do falecimento do notável prefeito da cidade de São Paulo, o advogado e economista Bruno Covas”.

“O cargo que ocupava até o momento era o mais alto de uma carreira política que estava longe de se encerrar i e que deixou importante legado para São Paulo. À frente de uma das principais cidades do mundo, sempre foi sensível às demandas dos empresários e da população, principalmente durante a crise de cCovid-19, a partir do ano passado. Não foram poucas as vezes em que escutou os pleitos do setor, ora oferecendo alternativas, ora atendendo-os”, diz a nota.

“A presidência e os colaboradores da FecomercioSP prestam solidariedade a familiares e amigos. Com a morte de Bruno Covas, a capital paulista e o País perdem um admirável gestor e cidadão”, complementa Szajman.

Prefeito estava licenciado

Licenciado do cargo no início deste mês, Bruno Covas estava em tratamento no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista.

Filho de Pedro Lopes e Renata Covas Lopes e pai do jovem Tomás Covas, Bruno nasceu em Santos, no litoral paulista, no dia 7 de abril de 1980, e foi advogado, economista e político brasileiro.

Mudou-se para a capital paulista em 1995 e, dois anos depois, filiou-se ao PSDB, seguindo os passos do avô, o ex-governador Mário Covas (1930-2001), sua grande inspiração e influência política . No partido, chegou a ser presidente estadual e nacional da Juventude do PSDB e ocupou cargos na Executiva Estadual.

Sua carreira na política começou em 2004, quando se candidatou a vice-prefeito de sua cidade natal. Dois anos depois, foi eleito deputado estadual na Assembleia Legislativa de São Paulo e reeleito para o mesmo cargo e m 2010, com mais de 239 mil votos, sendo o mais votado d aquele ano.

No ano seguinte, assumiu a Secretaria Estadual do Meio Ambiente no governo de Geraldo Alckmin, permanecendo no cargo até 2014, quando foi eleito deputado federal para o mandato 2015-2019.

Com informações da Agência Brasil
Imagem: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

Redação

Redação

Leia diariamente as notícias mais impactantes sobre varejo, consumo, franquias, shopping center e foodservice, entre outros temas, no Brasil e no mundo.

Relacionados Posts

Próxima Postagem

REDES SOCIAIS

NOTÍCIAS

Bem vindo de volta!

Entre na sua conta abaixo

Recupere sua senha

Digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.

Add New Playlist

%d blogueiros gostam disto: