Reserva aumenta comissão e adapta estoques para digitalizar franquias

Lojas faturam por meio do e-commerce e os clientes têm frete e tempo de entrega reduzidos

Reserva aumenta comissão e adapta estoques para digitalizar franquias

A marca de roupas masculinas Reserva possui cerca de 40 lojas franqueadas espalhadas pelo País e planeja encerrar o ano de 2021 com pelo menos 60. Como forma de atingir esse resultado, a empresa aposta no projeto Franquia 4.0, que tem por objetivo impulsionar a digitalização das lojas. As vendas feitas no e-commerce da marca usam o CEP do comprador para identificar qual a franquia mais próxima da residência dele; se a loja tiver o produto, o cliente pode optar por retirar na loja ou receber em casa com um prazo menor e pagando mais barato pelo frete.

“Substituímos o conceito de franqueados pelo novo e exponencial conceito de sócios locais de marca. O motivo é simples: entendemos que nossos atuais incríveis parceiros são como sócios. Com essa mudança, nossas lojas franqueadas passam a ser muito mais que pontos de vendas físicos, mas também centros de distribuição avançados, além de pontos de encontro atrativos, pela experiência que entregamos”, afirma Rony Meisler, um dos criadores da Reserva e atual CEO da AR&Co, dona da marca.

Entre as ferramentas tecnológicas usadas pela rede, estão o Now, software próprio de CRM no qual os vendedores têm acesso a um banco de dados dos clientes para atender cada um com exclusividade, e a implementação de um comércio digital por meio do qual o time de vendedores das lojas físicas se conectam com os clientes por meio de ligações, envios de cupons com descontos para compra no e-commerce e uso WhatsApp Business.

A diretora comercial de Atacado, Franquias e Multimarcas da Reserva, Juliana Almeida, diz que a empresa digitalizou o negócio para o B2C (business to consumer) e também para o B2B (business to business). “Hoje, os franqueados efetuam as compras para revenda nas suas lojas pelo nosso e-showroom. Trabalhamos com duas janelas de lançamentos no ano – verão e inverno -, além de novidades bimestrais, nas quais a proximidade da compra para a venda possibilita ao franqueado calcular melhor a demanda e minimizar o risco de excesso dos seus estoques”, afirma.

Projeto mal aceito

O projeto de digitalização, porém, não foi bem aceito num primeiro momento pelos franqueados. “Nossos parceiros tinham receio de levar os clientes fiéis de suas lojas físicas para o nosso site, pois acreditavam que eles não voltariam com a mesma frequência presencialmente”, explica Juliana.

Segundo ela, no início houve um baixo engajamento dos franqueados, o que fez com que as vendas digitais das franquias crescessem apenas 5% em comparação com o mesmo período pré-pandemia. Ao mesmo tempo, as lojas próprias da marca registraram um aumento de 30% nas vendas online em relação a 2020.

A empresa decidiu, então, criar um plano de educação de cultura digital e melhorar as condições para os franqueados. Por meio desse plano, a Reserva reajustou as comissões recebidas pela venda incentivada no e-commerce (incluindo a cota de venda de loja e de vendedores) e adequou os estoques das franquias para o direcionamento de compras feito no site.

O time interno da Reserva iniciou uma série de lives para os franqueados e seus times gerenciais todas as segundas, quartas e sextas-feiras com duração de uma hora, nos quais abordam a necessidade de se tornar digital.

Segundo a Reserva, essas ações têm gerado resultados positivos: hoje, os franqueados estão vendendo 30%, em comparação com o mesmo período pré-pandemia, e o e-commerce da Reserva cresceu 300%. “A digitalidade se tornou o modelo de negócio da franqueadora”, diz Meisler.

Como próximo passo para potencializar as franquias, a Reserva pretende investir em logística. “Estamos investindo nos nossos centros de distribuição para agilizar a omnicanalidade e garantir uma experiência de entrega cada vez melhor para o cliente da nossa marca”, diz o CEO da AR&Co.

Rony Meisler, um dos criadores da Reserva e atual CEO da AR&Co, dona da marca

Plataforma de streaming

Em abril, a Reserva lançou uma das suas principais apostas para 2021: a ReservaFlix, um streaming de conteúdo por assinatura 100% voltado ao empreendedorismo e ao varejo. O serviço conta com lives, cases e conteúdos exclusivos de grandes nomes do mercado brasileiro.

ReservaFlix possui conteúdos mensais novos e exclusivos desenvolvidos pela marca. “Queremos ser um exemplo de como uma marca de moda pode ser muito mais do que apenas roupas. Somos empreendedores e podemos e devemos passar nosso conhecimento para quem está iniciando ou reinventando seu próprio negócio. Esperamos que as pessoas compreendam o nosso propósito e reproduzam isso”, disse Meisler à época.

A assinatura anual da plataforma será comercializada em 12 vezes de R$ 29,90 ou por R$ 299,90 à vista. O valor será revertido em cashback mensal para todos os usuários utilizarem no site da Reserva.

Imagens: Divulgação

Sair da versão mobile