Varejista The Home Depot sobe no ranking dos 100 maiores dos EUA

Empresa aparece na 4ª posição; lista é liderada pelo Walmart, pela Amazon e pela The Kroger Co.

Varejista The Home Depot sobe no ranking dos 100 maiores dos EUA

Varejistas de material de construção e artigos de casa e decoração viram as vendas dispararem por todo o mundo com a pandemia de Covid-19. Passando mais tempo em casa, os consumidores levaram adiante o desejo de renovar, remodelar ou refazer ambientes. Para a rede americana The Home Depot, não foi diferente.

A empresa saltou da sexta para a quarta posição na lista dos 100 maiores varejistas dos Estados Unidos, segundo o relatório anual divulgado pela National Retail Federation (NRF) e pela Kantar.

No ano passado, as vendas nas mesmas lojas da The Home Depot cresceram 19,7% em relação a 2019. A Lowe’s viu as vendas nas mesmas lojas aumentarem 26,1%; a Ace e a Menards não divulgam comparações pelo mesmo critério.

Falta de componentes

Por outro lado, as vendas das lojas de produtos de telecomunicações e de eletrônicos se mantiveram em grande parte das varejistas do ramo – com exceção da Best Buy, que viu aumentos de quase dois dígitos. David Marcotte, vice-presidente sênior da Kantar, destaca o impacto da escassez global de chips nas telecomunicações.

“Os produtos eletrônicos de consumo estão em alta e continuarão a estar, mas está se tornando problemático conseguir produtos”, disse Marcotte. A gigante fabricante de telefones Samsung anunciou que pode pular uma geração de seu telefone Galaxy por causa da dificuldade em obter as peças do chip.

Topo segue estável

A lista das 100 maiores varejistas dos EUA é liderada pelo Walmart, pela Amazon e pela The Kroger Co., as mesmas empresas que estavam no topo em 2020. O ranking é baseado nas vendas registradas em 2020.

“As empresas que investiram pesadamente em compras online e retiradas na loja em 2018 e 2019 estavam perdendo dinheiro com isso”, disse Marcotte, vice-presidente sênior da Kantar. “Mas, em 2020, tudo valeu a pena.”

Os investimentos de varejo em comércio eletrônico vêm diminuindo, mas Marcotte explicou que isso ocorreu porque muitas empresas já investiram pesadamente e agora podem recuar um pouco. “Veja o Walmart, que teve um crescimento de 40% online, e a Best Buy – quase 50% de suas vendas no ano passado foram online. Eles nunca pensaram que diriam isso.”

Imagem: Bigstock

Sair da versão mobile