href="67508"

Aumento da busca por crédito entre MPEs sinaliza perspectiva de retomada econômica

Pesquisa revelou que equilibrar o fluxo de caixa está entre as prioridades das PMEs neste ano

Com a perspectiva de retomada econômica no pós-pandemia, 52% das micro e pequenas empresas (MPEs) do País estão decididas a buscar linhas de financiamento para minimizar os impactos da crise e outras 20% estão avaliando a necessidade de crédito, segundo pesquisa realizada pela Boa Vista, empresa que atua no mercado de proteção ao crédito.

Ainda segundo o levantamento, os bancos foram listados por 78% dos empresários como opção para conseguir crédito. Em 2020 apenas 65% consideravam tal alternativa. Além de instituições financeiras, familiares (13%) e amigos ou terceiros (5%) aparecem na ordem de preferência dos empresários como fontes de crédito. As financeiras foram consideradas por apenas 4% dos entrevistados, contra 14% no ano anterior.

A pesquisa também revelou que equilibrar o fluxo de caixa está entre as prioridades das PMEs neste ano. Para alcançar este objetivo, 27% delas reduziram despesas operacionais. No ano passado, porém, o índice foi maior (41%), numa mudança que reforça a expectativa de retomada econômica.

Reduzir o impacto da crise

“Notamos que, mesmo reduzindo despesas, ainda é alto o percentual de empresários que buscarão por crédito para minimizar os impactos da crise, e para isso, os bancos serão o principal canal de apoio nesta etapa. Por outro lado, percebemos que a redução de despesas operacionais tem sido menos adotada pelos empresários, impactando diretamente na manutenção de empregos e retomada da economia”, diz Flávio Calife, economista da Boa Vista.

O levantamento também revelou que cerca de 50% das MPEs não conseguiu a contratação das linhas de crédito emergenciais criadas pelo governo federal. Apenas 10% dos empresários buscaram e tiveram sucesso a esse tipo de financiamento no período em que a pesquisa foi realizada.

A pesquisa foi feita a partir de entrevistas online realizadas entre abril e junho e contou com a participação de aproximadamente 300 micros e pequenos empresários de todas as regiões do País.

Imagem: Reprodução

Sair da versão mobile