fbpx

Preocupação com variante delta impulsiona varejo nos Estados Unidos

Segundo NRF, consumidor prefere gastar com mercadorias do que com serviços

As preocupações com a variante delta da covid-19 empurraram os gastos do consumidor para mercadorias, em vez de serviços como jantar, entretenimento ou viagens, e as vendas no varejo nos Estados Unidos aumentaram novamente em setembro. As vendas varejistas no país registraram alta de 0,7% no mês de setembro, em comparação com o mês anterior, informou o Departamento do Comércio dos Estados Unidos. O resultado foi animador, já que analistas esperavam uma queda de 0,2% no indicador. Em relação ao mesmo mês do ano passado, o comércio varejista americano registrou alta de 13,9%.

“Apesar dos desafios persistentes relacionados à pandemia global, cadeia de suprimentos e escassez de mão de obra, os varejistas e seus parceiros mostraram resiliência e engenhosidade em colocar a força de trabalho, bens e sistemas em funcionamento para atender seus clientes e as comunidades onde operam”, afirma Matthew Shay, presidente e CEO da NRF (National Retail Federation), federação que representa o varejo nos Estados Unidos.

Segundo entidade, as importações neste ano foram recordes para suprir a demanda do consumidor. O economista-chefe da NRF, Jack Kleinhenz, destaca que a reabertura da economia foi interrompida pela covid-19, mas que os consumidores permanecem ativos. “As vendas no varejo não refletiram tanto a mudança de bens para serviços quanto o esperado. Isso foi uma vantagem para o varejo, porque os consumidores ainda têm uma hiper capacidade de gastar graças aos ganhos salariais e de emprego e às economias familiares acumuladas durante a pandemia”, diz.

Inflação preocupa

Para Kleinhenz, o aumento da inflação e as cadeias de abastecimento mais lentas continuam a ser uma preocupação. O cálculo da NRF de vendas no varejo – que exclui concessionárias de automóveis, postos de gasolina e restaurantes para se concentrar no varejo básico – também mostrou que setembro subiu 0,7% em relação a agosto e 11% em relação ao mesmo período do ano passado.

A expectativa da NRF para os primeiros nove meses do ano era de que as aumentassem 14,5%, em relação ao mesmo período em 2020, e que fechem 2021 com crescimento entre 10,5% e 13,5%.

Imagem: Shutterstock

Redação

Redação

Leia diariamente as notícias mais impactantes sobre varejo, consumo, franquias, shopping center e foodservice, entre outros temas, no Brasil e no mundo.

Relacionados Posts

Próxima Postagem

REDES SOCIAIS

NOTÍCIAS

Bem vindo de volta!

Entre na sua conta abaixo

Recupere sua senha

Digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.

Add New Playlist

%d blogueiros gostam disto: