Metaverso, das salas de reunião ao mundo dos esportes!

Neste artigo de hoje trazemos o quinto episódio da série metaverso e vamos contar algumas notícias alvissareiras de como o metaverso já está nos auxiliando em áreas que fazem parte do nosso dia a dia!

Meu objetivo é trazer uma visão ampla dos seus usos, benefícios e desafios que farão parte do nosso convívio. Quero sempre mostrar para vocês que a tecnologia anda de braços dados conosco e, se por muitas vezes, nos sentimos ameaçados por ela, talvez seja por não termos visto como ela pode fazer a diferença nas nossas vidas.

Quando eu me refiro aos ganhos que o metaverso deverá nos trazer, não fecho os olhos para uma realidade em que as pessoas estarão mais distantes fisicamente e isso, com certeza, não traz felicidade.  O ponto alto aqui é conhecer, aprender e usar o metaverso a nosso favor, no nosso dia a dia, e aproveitar o que ele pode nos oferecer pela sua tecnologia. Isso sem perder a alegria do convívio com os nossos pares, amigos e familiares.

Bill Gates, cofundador da Microsoft, prevê que, nos próximos dois ou três anos, a maioria das reuniões virtuais se moverá das imagens de câmeras 2D para o metaverso, um espaço 3D com avatares digitais.

Para ele, a ideia é que as pessoas “usem seus avatares para se encontrar em um espaço virtual que replique a sensação de estar em uma sala real”, e reforçou que, para fazer isso, será preciso ter óculos de realidade virtual e luvas de captura de movimentos, para “capturar com precisão suas expressões, linguagem corporal e a qualidade de sua voz”.

Sabemos que o metaverso será a tecnologia imersiva que vai nos acompanhar nos próximos anos, mas para isso novas tecnologias precisam se consolidar, como a realidade virtual, por exemplo. Vamos ter um tempo até que as pessoas adquiram essas tecnologias para poderem usufruir do metaverso na sua totalidade.

Na pandemia, iniciamos a era das videoconferências e a adesão a essa tecnologia foi quase instantânea, pois grande parte das pessoas tinha PCs, notebooks ou celulares com câmeras.

Na área da saúde, os ganhos já são muito relevantes! “O metaverso deve ganhar força, porque várias empresas de tecnologia estão lançando equipamentos e infraestrutura para profissionais da área médica”, diz Guilherme Hummel, coordenador científico da Hospitalar Hub, plataforma que conecta instituições de saúde do País.

Hospitais do Estado de São Paulo estão utilizando o metaverso em procedimentos que vão desde um exame de sangue até uma cirurgia. A realidade aumentada e a realidade virtual, juntas, formam a base do metaverso, o que permite a interação entre as pessoas e objetos em diferentes ambientes. Isso acontece por meio do uso de aparelhos como óculos especiais, que mostram hologramas ao usuário e permite que ele interaja com o mundo virtual.

Outro exemplo bem-sucedido na área da saúde vem do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB), no interior de São Paulo. Por lá, foi iniciado neste ano o Projeto Treina Dragão, que utiliza óculos de realidade virtual para tranquilizar crianças que entram no centro cirúrgico, com resultados surpreendentes.

Ao entrarem no centro cirúrgico, as crianças recebem o equipamento e se distraem com o dragão animado contando histórias e passam a interagir sensorialmente com o personagem, o que facilita os procedimentos médicos que causam medo e estresse.

No mundo dos esportes, Cristiano Ronaldo já havia apresentado a ZujuGP, uma empresa que quer explorar o metaverso no ambiente do futebol. Com direito a um vídeo de CR7 vestido de samurai, o lançamento da plataforma teve como foco o mercado asiático.

 

 

Manchester City NFL também já embarcaram com seus universos. No Brasil, a NBA transformou numa experiência 100% digital a NBA House. Eventos, transmissões e até mesmo loja foram para o ambiente on-line. Como resultado, mais de 200 mil cadastros foram feitos, gerando para a liga um enorme banco de dados sobre fãs do basquete no país.

A Bloomberg Intelligence calcula que a oportunidade de mercado para o metaverso pode atingir US$ 800 bilhões até 2024. Já o Bank of America incluiu o metaverso na sua lista de 14 tecnologias que revolucionarão a nossa vida.

E assim caminhamos a passos largos para uma nova realidade repleta de inovação, experiências imersivas, ganhos de produtividade e a ampliação da atuação de muitos setores pelas facilidades que a tecnologia nos traz. Teremos a oportunidade de viajar para lugares desconhecidos, nos aproximar de pessoas que estão distantes geograficamente, de fazer compras, de assistir shows e desvendar os mistérios da evolução tecnológica!

Até o próximo episódio!

Patricia B. Bordignon Rodrigues é diretora de Marketing e Canais Benkyou.
Imagens: Shutterstock 

Patrícia Bordignon Rodrigues

Patrícia Bordignon Rodrigues

Diretora de Marketing e Canais da Benkyou, uma plataforma digital de aprendizado corporativo. Patrícia possui vasta experiência à frente de empresas de tecnologias e de potencialização de canais de vendas como Microsoft, Warner, Sony entre outras. E hoje lidera as iniciativas de desenvolvimento de soluções, canais e marketing da Benkyou.

Relacionados Posts

Próxima Postagem

REDES SOCIAIS

NOTÍCIAS

Bem vindo de volta!

Entre na sua conta abaixo

Recupere sua senha

Digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.

Add New Playlist

%d blogueiros gostam disto: