Meta Retail 3D – É hora de ADERIR!

Nesse contínuo cenário de transformação do mundo, temos de estar continuamente nos adaptando ao ambiente que nos garante condições de sobrevivência. A transformação do planeta é uma constante há mais de 4,5 bilhões de anos e os seres vivos, oriundos do ambiente aquático, têm de se adaptar continuamente para perpetuar suas espécies e interagir com os diferentes ambientes do planeta para sobreviverem.

Calma! Não faço aqui um artigo sobre biologia. Vamos falar de mercado, novos ambientes, transformações recentes, componentes de perenidade dos negócios… de Meta Retail 3D. Se você ainda não está habituado com esse modelo de análise de operações de consumo e de varejo modernos, sugiro a leitura do artigo “Metaretail 3D: Descubra o deu nível de competitividade frente aos líderes do varejo global”.

Neste artigo, vamos falar diretamente do subcomponente pessoas, que, em minha visão, é o elemento mais interativo desse framework de análise das empresas. Talvez seja o subcomponente mais estratégico para ser altamente competitivo no novo cenário de mercado. Junto com os subcomponentes storytelling e experiência, ele compõe o componente relacionamento.

Por mais que tenhamos ambientes de loja (física ou digital) cheios de experiências e informações interativas, as pessoas ainda são o elemento de relacionamento mais desejado pelos consumidores. Temos o consumidor como bússola do mercado e ele quer contato com pessoas, então temos de valorizar esse subcomponente em nossos planos estratégicos com muita atenção na formação de nossos times. Outro ponto que potencializa o valor das pessoas nas empresas é o propósito, motivo pelo qual a sua empresa não pode deixar de existir. É a contribuição para a sociedade. Se seu time está desalinhado com o propósito da empresa, você está deixando de contribuir plenamente… cuidado, sua empresa pode perder valor de existência para a sociedade!

Então é hora de ADERIR! Tenho certeza de que você quer um alto nível de competitividade no Meta Retail 3D. Olhar para as pessoas que formam sua empresa é cada vez mais estratégico. O discurso de que nosso maior patrimônio são as pessoas que trabalham em nossa empresa tem de, definitivamente, virar prática! Então vamos ADERIR:

A – Atrair novos talentos

A aceleração da transformação digital ao longo da pandemia de covid-19 está exigindo uma verdadeira revolução na cultura das empresas. É preciso ter gente que sabe pensar, agir e viver nesse universo digital. Jovens, mesmo sem experiência profissional, podem encurtar o caminho dessa transformação da cultura digital corporativa. Eles são nativos digitais e podem contribuir muito com hábitos e competências já incorporadas em seus comportamentos e modo de viver.

D – Desenvolver talentos

Não adianta procurar gente totalmente qualificada para seu time. Não existe! Aqueles que possuem mais experiência talvez tenham de ser desenvolvidos no moderno jeito digital de ser; jovens menos experientes precisam ser desenvolvidos em competências duras (hard skills), com conhecimentos e habilidades técnicas e operacionais que só se aprendem na prática; pessoas que tiveram poucas oportunidades de estudo ao longo da vida (independentemente da idade) precisam de desenvolvimento para serem reintegradas no modelo de trabalho atual, no qual será preciso criar o hábito de desenvolvimento contínuo. Enfim, todos nós precisamos de desenvolvimento para nos tornarmos talentos.

Exemplos interessantes que já vemos no mercado são: o Magazine Luiza com o Programa 40+ e os cursos gratuitos da Católica Business School.

E – Engajar a equipe

O que move as pessoas? Se sua empresa não se preocupa com a resposta desse questionamento, provavelmente não terá alta competitividade no Meta Retail 3D. Se focarmos nos clientes internos das empresas, temos que levar em consideração que a relação de trabalho mudou radicalmente com a pandemia e, cada vez mais, as pessoas buscam equilíbrio na vida profissional e pessoal. Novas gerações possuem outros direcionadores de sucesso que vão além da remuneração. Se falamos de clientes externos, temos um grande desafio para responder a essa pergunta, mas sabemos que estão cada vez mais preocupados em ter um mundo melhor para a posteridade. O engajamento (interno ou externo) está diretamente relacionado ao seu propósito, que não deve estar apenas no papel.

R – Reaprender continuamente

O dinamismo do Meta Retail 3D exige que as empresas estejam monitorando as mudanças de comportamento dos consumidores em tempo real. Isso por si só já é um desafio, mas fazer as pessoas da empresa se ajustarem às mudanças identificadas é o ponto-chave. As empresas precisam possuir um sistema de reaprendizagem contínua, que vai além de ensinar novas competências – tem que fazer as pessoas desaprenderem algumas competências obsoletas. Ter pessoas com capacidade de inovação.

I – Inspirar o sucesso

Estamos falando de liderança. Acabou a era do líder controlador. Agora só há espaço para líderes inspiradores. São verdadeiros influenciadores de pessoas que estimulam as pessoas ao seu redor a buscarem maior felicidade e se sentirem bem-sucedidas e mais contributivas. Como disse Marcos Gouvêa de Souza em seu artigo “Quais são os 7 elementos chave da Metaliderança”: “Se tem algo que mudou de patamar na hierarquia das demandas emergentes nos conceitos de liderança nos últimos tempos é a questão de pluralidade e diversidade.” Saber inspirar exige ser plural e saber olhar a diversidade de pensamentos e expectativas das pessoas como oportunidade de sucesso.

R – Reter talentos

Grande desafio! Uma enorme reclamação de empresários sempre foi a perda de talentos para outras empresas, principalmente concorrentes. Em vez de lamentar e esbravejar, procure compreender o que está atraindo seus talentos em outras empresas. É capaz de você se surpreender e descobrir que não é uma questão de remuneração. Em uma sociedade cheia de incertezas e transformações, reter seus talentos está ligado às expectativas de um futuro bem-sucedido que você oferece a cada pessoa de seu time.

É hora de ADERIR e ser mais competitivo no Meta Retail 3D!

Luiz Guilherme Baldacci é sócio-diretor da Friedman.
Imagem: Shutterstock

Luiz Guilherme Baldacci

Luiz Guilherme Baldacci

Guilherme Baldacci é sócio-diretor da Friedman, empresa da Gouvêa especializada em Gente, Gestão, Talentos e Treinamento. Baldacci possui mais de 25 anos de carreira focada no varejo e ampla vivência em gestão de operações em empresas de franchising e consultoria.

Relacionados Posts

Próxima Postagem

REDES SOCIAIS

NOTÍCIAS

Bem vindo de volta!

Entre na sua conta abaixo

Recupere sua senha

Digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.

Add New Playlist

%d blogueiros gostam disto: