Livraria Leitura abre nova loja em São Paulo e chega a 84 unidades no País

Rede é, atualmente, a maior do Brasil em pontos físicos

Livraria Leitura abre nova loja em São Paulo e chega a 84 unidades no País

A Livraria Leitura vai inaugurar nesta quarta-feira (19) mais uma unidade em São Paulo. A 17ª loja da rede no Estado, e sétima da capital, ficará no Shopping Interlagos, na zona sul. A empresa dá, assim, continuidade ao seu plano de expansão, que já a transformou na maior rede em unidades físicas do Brasil, com 84 lojas espalhadas por 21 Estados.

Ainda neste ano, a rede vai inaugurar lojas no Caruaru Shopping, em Pernambuco, e no Shopping Paralela, em Salvador (BA). A empresa também vai continuar oferecendo o serviço de delivery de livros, uma iniciativa implantada durante o período de isolamento social.

Além de livros, das unidades da rede, que nasceu em Minas Gerais, vendem itens de papelaria, presentes, suprimentos de informática e geek.

A abertura de filiais começou na década de 1980. A partir dos anos 1990, o plano passou a ser uma nova unidade por ano. Em 2000, a rede rompeu as divisas de Minas Gerais abrindo uma loja em Brasília (DF). O plano para 2021 é continuar a abrir lojas em cidades acima de 300 mil habitantes.

Para Marcus Telles, presidente da Leitura, “o segredo do sucesso é qualificar as lojas com layouts atrativos e confortáveis, grandes variedades de produtos, promoções atrativas e muitos eventos, transformando-se em um ponto de convivência social”.

Crise no setor de livrarias

A Leitura anda na contramão do setor, que já estava combalido mesmo antes de o coronavírus chegar ao Brasil. Em fevereiro, inspirados em um movimento internacional para atrair visitantes às livrarias e espaços culturais, após quatro meses de estabelecimentos fechados por causa da pandemia, um grupo de representantes de mais de 120 pontos de venda do País promoveu a campanha #tudocomeçanalivraria.

Com apoio da Câmara Brasileira do Livro (CBL), da Associação Nacional de Livrarias (ANL) e do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), a campanha teve como objetivo reforçar o protagonismo das livrarias como ponto de conexão entre livreiros, autores, editores, distribuidores e leitores.

Imagens: Divulgação

Sair da versão mobile