Após ameaçar sair do País, Audi decide retomar produção no Paraná

Retorno vai ocorrer no início de 2022, com a produção de dois novos utilitários esportivos

Quase um ano após ter suspendido as operações no Brasil, a Audi anunciou que vai voltar a produzir carros na fábrica compartilhada com a Volkswagen em São José dos Pinhais (PR). O retorno vai ocorrer no início de 2022, com a produção de dois novos utilitários esportivos (SUVs) – a segunda geração do Q3 e o inédito Q3 Sportback, que chegarão ao mercado em meados do ano.

O grupo ainda aguarda a decisão do governo federal sobre a devolução de créditos tributários que tem a receber desde quando aderiu ao programa Inovar-Auto, criado em 2012 para incentivar novas empresas a se instalarem no País, e encerrado em 2017.

Em setembro de 2020, quando anunciou que a fábrica suspenderia a produção no início deste ano, o presidente da Audi do Brasil, Johannes Roscheck, condicionou o retorno ao pagamento da dívida, ainda que de forma escalonada. Embora a questão não esteja 100% resolvida, ele disse estar otimista com uma solução do Ministério da Economia em breve.

Dessa decisão vai depender o valor do investimento na produção local. Inicialmente, a capacidade produtiva será de 4 mil veículos ao ano. Quando a linha foi inaugurada, em 2015, a eram 20 mil unidades, volume nunca atingido. Inicialmente, a operação será praticamente de montagem de partes dos veículos que serão importadas.

“A matriz queria encerrar a produção local, e não foi simples convencê-la”, afirma Roscheck, que ocupa o cargo desde 2017. “Levamos em conta quanto o consumidor valoriza a marca quando o produto é local. Significa também que acreditamos no País, na qualidade da fábrica e da mão de obra local”, afirma. “E a matriz entendeu.”

A dívida total do governo com créditos do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) com as três marcas premium alemãs é de R$ 287 milhões. A maior parte (quase 70%) é com a Audi e o restante com a Mercedes-Benz – que fechou sua fábrica de carros em Iracemápolis (SP) em dezembro do ano passado e vendeu as instalações para a chinesa Great Wall – e a BMW.

Carros elétricos

A Audi também anunciou que vai investir R$ 20 milhões, em parceria com a rede de concessionárias, na instalação de postos de recarga rápida para carros elétricos em suas 42 revendas no País. Uma carga completa pode ser feita em 20 minutos. A marca, que globalmente terá toda a produção voltada a carros elétricos a partir de 2033, tem quatro modelos à venda no Brasil, que respondem por 5% dos seus negócios.

O grupo deve encerrar o ano com vendas de 6 mil automóveis. Não fosse a falta global de carros por causa da escassez de semicondutores, o volume chegaria a 10 mil, disse Roscheck.

Com informações de Estadão Conteúdo

Imagem: ShitterStock

Redação

Redação

Leia diariamente as notícias mais impactantes sobre varejo, consumo, franquias, shopping center e foodservice, entre outros temas, no Brasil e no mundo.

Relacionados Posts

Próxima Postagem

REDES SOCIAIS

NOTÍCIAS

Bem vindo de volta!

Entre na sua conta abaixo

Recupere sua senha

Digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.

Add New Playlist

%d blogueiros gostam disto: