fbpx

Farma Ventures acumula 9 startups para inovar o varejo farmacêutico

Parceria permite que as soluções tenham acesso aos fundos de investimento

A pandemia de covid-19 exigiu que os mais diversos setores utilizassem soluções inovadoras para adaptar à nova realidade. Com a missão de buscar soluções inovadoras e desenvolver o trabalho de startups do segmento farmacêutico surgiu a Farma Ventures, primeira corporate venture builder do varejo farmacêutico do Brasil.

Lançada em março de 2020, a Farma Ventures foi uma iniciativa de duas redes de farmácias do País, a Drogal e a Indiana. Ambas se tornaram sócias da companhia e servem de porta de entrada para as soluções apresentadas pelas startups.

Com menos de dois anos de criação, a empresa já conta com nove startups em seu portfólio, como Proffer, Ligo e XLZ. Ao todo, o valuation da empresa é de R$ 42 milhões.

“O varejo farmacêutico demanda plataformas e sistemas tecnológicos para potencializar ainda mais seus resultados. Nossa proposta é justamente destacar e realçar as startups que se debruçam sobre esse setor e precisam de apoio para crescerem”, explica Marcos Knosel, CEO da Farma Ventures.

Processo de seleção

A Corporate Venture Builder faz um processo de busca se startups que sejam promissoras e promovam impacto socioeconômico com suas soluções. Entre os segmentos de investimentos estão os de automação do PDV, soluções omnichannel, gestão de preços e estoque, serviços de saúde, inteligência de mercado, gestão de pessoal e outras frentes.

A partir da seleção, a Farma Ventures entra como cofounder da startup e garante o apoio intelectual, relacional e estratégico para a empresa selecionada. A parceria permite que as soluções tenham um acesso ampliado ao mercado farmacêutico e aos fundos de investimento.

O varejo farmacêutico atravessa um bom momento. Segundo um levantamento feito pela Fundação Instituto de Administração (FIA), da Universidade de São Paulo, para a Associação Brasileira de Redes de Farmácia (Abrafarma), aponta que o setor movimentou R$ 66,07 bilhões entre agosto de 2020 e julho de 2021.

Etapas de trabalho

Tanto a Drogal como a Indiana são mentoradas pela Top Capital, butique de investimentos focada em estratégia corporativa. As duas empresas encontraram no formato de negócio da FCJ Venture Builder a melhor opção para colocar o projeto em prática.

“Com essa estrutura, queremos impulsionar as startups do nosso portfólio permitindo que elas tenham o apoio necessário em todas as etapas do trabalho. Assim, é possível apresentar propostas inovadoras que realmente tragam impacto positivo para todo o ecossistema”, afirma Knosel.

Imagem: Shutterstock

Redação

Redação

Leia diariamente as notícias mais impactantes sobre varejo, consumo, franquias, shopping center e foodservice, entre outros temas, no Brasil e no mundo.

Relacionados Posts

Próxima Postagem

REDES SOCIAIS

NOTÍCIAS

Bem vindo de volta!

Entre na sua conta abaixo

Recupere sua senha

Digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.

Add New Playlist

%d blogueiros gostam disto: