Com foco no foodservice, Grano Alimentos planeja lançar linha plant-based

Empresa de vegetais congelados aposta na diversificação de produtos e soluções para atender os operadores de restaurantes

Com foco no foodservice, Grano Alimentos planeja lançar linha plant-based

Com 70% das vendas voltadas para o setor de foodservice, a Grano Alimentos, empresa de vegetais congelados, planeja investir em uma das tendências da alimentação, o plant-based. “Vamos avançar para o mercado de plant-based, com valor agregado maior, sem aditivo químico, sem sódio e saudável”, André Magnavita, diretor Comercial e Marketing da empresa.

Com mais de 200 SKUs, a empresa aposta na diversificação de produtos e soluções para atender os operadores de restaurantes. Entre os lançamentos recentes que atendem à praticidade buscada pelo foodservice, Magnavita cita o alho congelado e o arroz de couve-flor, um substituto de carboidrato com baixo valor glicêmico.

“Nosso vetor de crescimento são soluções para o foodservice.  O alho congelado, picado e inteiro, está tendo uma grande aceitação, já que toda a base de culinária brasileira leva alho. Já o arroz de couve-flor é um substituto ao arroz tradicional”, conta.

Outro destaque, conta o executivo, é o grão de bico hidratado e pronto para o consumo, o que facilita o preparo de pratos, principalmente os árabes, como o homus. Os carros-chefes da empresa, no entanto, são os brócolis congelados e a seleta de legumes – são seis tipos diferentes.

Como os produtos têm 18 meses de validade, Magnavita destaca que a perda para os restaurantes é praticamente zero. A empresa conta com 120 distribuidores que atendem desde Manaus até Rio Grande do Sul, Estado de origem da Grano Alimentos.

Em São Paulo e no Rio Grande do Sul, no entanto, a empresa conta com televendas e representantes próprios.

Foco na saudabilidade e praticidade

Criada em 2000 na pequena cidade de Serafina Correia, no Rio Grande do Sul, a partir de um sonho de um descendente de imigrantes italianos, a Grano Alimentos foi adquirida por um fundo de investimento americano, que detém 75% do capital social da empresa.

Com foco na saudabilidade e praticidade, a empresa planeja crescer de 25% a 30% em 2022, mesmo patamar dos últimos anos.

“A gente sempre apostou na saudabilidade como o vetor da empresa e, obviamente, começamos a surfar essa onda porque o globo foi nessa direção. De 2020 para cá, começou uma onda, que além do saudável, também quer o funcional, com produtos que aumentem a imunidade, tenham proteína e ajudem o corpo a trabalhar melhor. É isso o que a Grano faz, com produtos minimamente processados. O nosso trabalho é não estragar o que a natureza criou”, brinca Magnavita.

Imagens: Shutterstock e Divulgação

Sair da versão mobile