Consumidores brasileiros se sentem seguros ao fazer compras online

Entretanto, estudo realizado pela SBVC em parceria com a Pinion mostra que 27% dos entrevistados já sofreram algum tipo de fraude

Os consumidores brasileiros se sentem seguros para realizar compras online, mostra a segunda edição do estudo “Segurança do consumidor digital e as fraudes no varejo“, realizado pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) em parceria com a Pinion. O estudo mostra que as empresas devem adotar cada vez mais medidas que garantam a segurança do cliente durante a compra.

Para o levantamento, foram entrevistados 804 consumidores de todo o País que têm o hábito de realizar compras pela internet. De acordo com os dados levantados, cerca de 87% desses consumidores sentem segurança ao comprar em e-commerce de lojistas nacionais. Além disso, 38% se sentem mais seguros ao fazer compras online em marketplaces.

“Garantir uma jornada de compra segura e dar um suporte para eventuais problemas que ocorram em uma compra digital é essencial para as empresas de varejo prosperarem no Brasil”, afirma Eduardo Terra, diretor-presidente da SBVC.

Ainda de acordo com o estudo, mesmo com uma grande parcela dos consumidores se sentindo seguros, um total de 27% dos entrevistados revelaram já ter sofrido algum tipo de fraude ao comprar online, o que representa um aumento de 12 pontos porcentuais em relação à edição de 2019 da pesquisa. Algumas das ocorrências foram:

  • Não recebimento do produto adquirido: 57%.
  • Recebimento do produto errado ou com defeito: 33%.
  • Fraudes no cartão de crédito: 31%.
  • Vazamento dos dados pessoais: 17%.
  • Fraude na geração de boleto: 12%.

Denúncias

O estudo também constatou que grande parte dos consumidores lesados costuma denunciar o ocorrido, sendo que a maioria realiza denúncias online. No entanto, ainda há um número considerável de consumidores que não denunciam, representando 42%. A principal ferramenta utilizada para a denúncia é o site “Reclame Aqui” (40%), seguido pelo Procon (22%). Também é importante destacar o aumento significativo de ocorrências não resolvidas, que passou de 25% na edição de 2019 para 40%.

Banner Curso ONE FRIEDMAN

As principais formas de resolução das ocorrências foram as seguintes:

  • 25% dos casos tiveram o valor devolvido pela empresa, para a conta do consumidor.
  • Em seguida, em 12% dos casos, o valor foi devolvido pelo banco, para a conta do consumidor.
  • Também em 12% dos casos, o valor foi devolvido em forma de créditos para utilização em compras futuras.
  • Por fim, em 7% dos casos, o produto foi trocado.

Segurança digital e proteção de dados vem se tornando um tema cada vez mais relevante”, completa Terra.

Com informações de Mercado&Tech.
Imagem: Shutterstock

Redação

Redação

Leia diariamente as notícias mais impactantes sobre varejo, consumo, franquias, shopping center e foodservice, entre outros temas, no Brasil e no mundo.

Relacionados Posts

Próxima Postagem

REDES SOCIAIS

NOTÍCIAS

Bem vindo de volta!

Entre na sua conta abaixo

Recupere sua senha

Digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.

Add New Playlist