Grupo Heineken no Brasil adota teletrabalho definitivo para escritórios

A partir desta semana, todos os colaboradores das áreas corporativas do Grupo Heineken no Brasil passam a trabalhar na modalidade de teletrabalho em definitivo. A decisão, que está alinhada à estratégia de Digital & Tecnologia da empresa, foi tomada após pesquisas terem confirmado a boa aceitação do home office pelos times, que estão em trabalho remoto desde março de 2020, quando a pandemia de Covid-19 foi decretada.

Cerca de 1.300 pessoas que atuam nas áreas corporativas dos escritórios Heineken localizados nas cidades de São Paulo e Itu, no interior do Estado, já estão em teletrabalho. A empresa adequou sua política de benefícios e o contrato de trabalho de acordo com a regulamentação vigente sobre o tema, que prevê a realização do expediente fora das dependências da empresa por, no mínimo, três vezes por semana.

A companhia está transformando a estrutura dos escritórios da capital e de Itu em hubs de acomodação, encontros e conexão, que poderão ser utilizados quando os riscos da pandemia diminuírem. O mesmo conceito está sendo adotado nos Centros de Distribuição localizados no bairro do Sacomã, na zona sul da capital, e na cidade de Sumaré, no interior, unidades instaladas para facilitar o acesso dos colaboradores corporativos.

“Depois de nove meses trabalhando de forma remota, entendemos que este modelo oferece aos nossos colaboradores uma série de benefícios, como autonomia e flexibilidade para serem protagonistas de suas carreiras, qualidade de vida, bem-estar e proximidade com a família. Para a empresa, a mudança acelera a transformação de nossa cultura rumo a um mindset cada vez mais digital, reduz custos e ainda contribui para mais inclusão e diversidade”, afirma Raquel Zagui, vice-presidente de Recursos Humanos do Grupo Heineken.

A companhia inaugurou neste ano a plataforma Heineken Cuida, que oferece suporte mental, emocional e físico 24 horas por dia e sete dias por semana, conteúdos e informações, além de treinar a liderança para identificar e direcionar o colaborador que precisa de auxílio, e promover ajustes estruturais sempre que necessário.

“Acredito que a força da cultura de nossa organização, que já amadureceu muito desde 2017, quando chegamos ao tamanho que somos hoje, e a proximidade que mantemos com os nossos times e com todos aqueles que se conectam com o nosso negócio sejam determinantes diante dessas mudanças. Nos sentimos prontos para dar este novo passo, que se baseia muito mais em uma relação de confiança do que de controle com os nossos colaboradores. Sabemos que, em grandes movimentações como essa, podemos encontrar desafios pelo caminho, mas estamos dispostos a aprender e ouvir os nossos públicos a cada etapa da transição, por isso, estamos bastante otimistas com o que está por vir”, complementa Raquel.

Para as demais áreas administrativas de suas 15 unidades produtivas, os colaboradores continuarão no modelo home office até o fim da pandemia e, passado este período, a prática se manterá como uma opção. Nesses casos, no entanto, o trabalho remoto será limitado a duas vezes por semana fora das dependências da companhia, conforme a regulamentação vigente.

Imagem: Divulgação

Sair da versão mobile