fbpx

O que você sabe sobre blockchain no varejo? Lamentamos, mas precisa ser revisto

Momentum nº 928

No cenário em que o consumidor emergente pós-pandemia se tornou mais crítico e consciente sobre a origem do que compra e consome, ao mesmo tempo que novas e mais inovadoras formas de monitoramento da origem das informações dos consumidores se tornam temas vitais para a reconfiguração dos negócios, o conceito, os recursos e as práticas do blockchain assumem relevância muito maior.

Pesquise, aprofunde, avalie e conheça mais sobre o blockchain. Será crítico no cenário emergente.

Quando um conceito é usado ao mesmo tempo por Amazon, Walmart, Alibaba, Ahold, Carrefour, Aldi, Ikea, Auchan, Home Depot, Target, Nestlé e muitos outros e você não o domina e apenas tem uma noção sobre ele, esse é um convite, quase uma intimação, para que se aprofunde para conhecer mais e avaliar o impacto que ele poderá ter em seu negócio atual ou futuro.

Para o Carrefour, se tornou um elemento crítico em sua proposta para se diferenciar, especialmente nas marcas próprias, monitorando e informando sobre a origem dos produtos e todo seu caminho até chegar na mesa dos consumidores.

Para a Aucham, a possibilidade de permitir a rastreabilidade dos produtos oferecidos em suas operações na França, em Portugal, na Itália, na Espanha e no Senegal.

Para a norte-americana Target, uma opção para administrar toda sua cadeia de abastecimento.

No pós-pandemia, conhecer com detalhes atuais a origem dos produtos que estamos ingerindo tornou-se ainda mais crítico e o blockchain permite respostas instantâneas e críveis. Os consumidores que emergem desse período estão e estarão crescentemente mais sensíveis a esse tema.

Da mesma forma, podemos usar o blockchain na gestão e no uso das informações geradas pelos programas de fidelidade, cada vez mais importantes para criar relacionamentos mais duradouros e gratificantes parte a parte.

Poderemos nos precaver contra os crescentes ataques cibernéticos que podem paralisar negócios e até mesmo obrigar pagamentos de resgates para restaurar as operações, como aconteceu recentemente com Renner, Cosan, JBS e outros.

Ou evitar que produtos piratas ou sem origem identificada e comprovada comprometam a imagem da empresa, em tempos em que as questões ESG ocupam crescente protagonismo na mente dos consumidores e nas discussões estratégicas dos negócios.

O blockchain tem importância, também, no cenário e nas perspectivas que envolvem o Open Banking ou Open Finance, crescentemente presentes na realidade global e com impacto imediato no cenário brasileiro.

Mais do que uma ferramenta disponível pela vertente tecnológica, o blockchain é um importante instrumento de diferenciação competitiva no varejo e no consumo, em especial num momento em que a proximidade e a conexão direta, transparente e em tempo real com os consumidores e produtos e serviços e seus fornecedores tornam-se fatores críticos no cenário megacompetitivo com predominância dos modelos estruturados em Ecossistemas de Negócios.

Por tudo isso e muito mais, o tema merece ser estudado e aprofundado. Quem não o fizer poderá ser atropelado pela volátil transformação da realidade. De forma mais confortável, deve ser incorporado como recurso para a construção de diferenciais competitivos que definirão as empresas que estarão à frente no cenário emergente.

Nesta semana, realizamos o primeiro evento exclusivo “Quando os presidentes se encontram”, atividade do programa Insiders do Ecossistema Gouvêa, para conhecer e discutir a nova realidade emergente envolvendo o tema blockchain e sua aplicabilidade no varejo e no consumo.

Muitos dos insights aqui compartilhados foram debatidos nesse evento e no módulo de Desenvolvimento Estratégico em Varejo e Consumo da Gouvêa Academy, que também aconteceu esta semana.

Foi a primeira vez, no Brasil, que os temas foram extensivamente apresentados e debatidos por um grupo de líderes, executivos, consultores, pesquisadores e empresários ligados a esses setores na extensão, profundidade e abrangência que o assunto merece.

Durante o Latam Retail Show virtual, de 14 a 16 de setembro, ocorrerá ampla discussão sobre as transformações que a realidade global e local vivenciam por conta do avanço das opções de uso do blockchain no varejo e no consumo pós-pandemia e seus impactos nos negócios e no mercado, potencializados pelas mudanças que ocorrem no cenário mais amplo que envolve a emergente Sociedade 5.0, macrotema do evento deste ano.

Serão 205 palestrantes, 82 horas de conteúdo, 5 palcos simultâneos e mais 3 pesquisas inéditas e exclusivas. Uma imperdível imersão na realidade do presente e na visão do futuro (clique aqui para mais informações sobre o evento).

Marcos Gouvêa de Souza é fundador e diretor-geral da Gouvêa Ecosystem e publisher da plataforma Mercado&Consumo.
Imagem: Envato

Marcos Gouvêa de Souza

Marcos Gouvêa de Souza

Marcos Gouvêa de Souza é fundador e diretor-geral da Gouvêa Ecosystem, membro do IDV – Instituto para o Desenvolvimento do Varejo, do IFB – Instituto Foodservice Brasil, Presidente do LIDE Comércio e membro do Ebeltoft Group, aliança global de consultorias especializadas em varejo em mais de 25 países. Publisher da plataforma Mercado & Consumo.

Relacionados Posts

Próxima Postagem

REDES SOCIAIS

NOTÍCIAS

Bem vindo de volta!

Entre na sua conta abaixo

Recupere sua senha

Digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.

Add New Playlist

%d blogueiros gostam disto: