Metaverso – Quão grande pode ser esse mercado

Episódio 16: Que tendências podemos traçar a partir das pesquisas!

Neste artigo de hoje vou dividir com vocês uma última pesquisa da McKinsey que está estimando que o metaverso seja um mercado de US$ 5 trilhões até 2030.

Vamos entender melhor esses números para que possamos conhecer um pouco mais o que o futuro nos reserva de bom. Essa pesquisa foi utilizada para traçar previsões sobre como será o comportamento do consumidor no metaverso, que, segundo a McKinsey, terá cinco atividades principais: jogos, comércio, socialização, fitness e aprendizado remoto.

Foi publicado um relatório, nomeado “Criação de valor no metaverso”, que analisou as tendências atuais de adoção e que agregou informações de mais duas pesquisas globais, uma feita com consumidores de 11 países e a outra com executivos de empresas de 15 setores diferentes de 10 países.

O que se verificou foi que 60% de todo o universo de consumidores pesquisados têm preferido fazer no mundo virtual em detrimento do mundo físico pelo menos uma atividade do seu dia a dia e 79% dos consumidores ativos no metaverso já fizeram uma compra.

Somente nestes cinco primeiros meses do ano, mais de US$ 120 bilhões já foram investidos em tecnologia e infraestrutura para o metaverso, mais que o dobro do valor investido durante todo o ano de 2021.

O que isso nos mostra? Tendências! As pesquisas têm o objetivo de colher dados, estratificar e analisar para gerar um relatório de tendências. E por que as tendencias são tão importantes? Por que milhões são investidos em pesquisas? Porque, com o conhecimento sobre as tendências, o mercado consegue projetar os investimentos e as empresas conseguem estruturar o seu planejamento estratégico para que possam ingressar nesse novo mundo e garantir uma fatia desse mercado promissor.

O grande volume financeiro do metaverso estará centralizado no comércio eletrônico, que, segundo o relatório da McKinsey, representará entre US$ 2 trilhões e US$ 2,6 trilhões de todo volume de gastos dentro do metaverso até 2030.

O que vejo no mercado é um movimento em busca de informações e de fornecedores que possam tornar o metaverso uma realidade nos seus negócios.

Nesse momento, estamos como esponjas, absorvendo tudo que ouvimos para colocar em prática no momento oportuno. Existe um alvoroço muito grande na corrida pela inovação, em busca desse consumidor que está aberto para esse novo mundo digital que ele já vem experimentando e aprovando desde que iniciou a pandemia.

Como já falei em outros artigos, a pandemia acelerou a fila das inovações tecnológicas. E preparou o terreno criando a cultura do digital. Ele já fazia parte das nossas vidas, mas muito aquém do que temos hoje. E vou além: estamos gostando muito dessa experiência e queremos mais!

Os principais autores do relatório e sócios seniores da McKinsey, Lareina Yee e Eric Hazan, teceram o seguinte comentário sobre a pesquisa: “O que é empolgante é que o metaverso, como a internet, é a próxima plataforma na qual podemos trabalhar, viver, conectar e colaborar.” Ainda comentaram que uma unanimidade entre os executivos pesquisados foi a de que o metaverso terá um impacto positivo em seus setores.

Quando falam em impacto positivo, estão falando dentre várias métricas, em aumento da margem dos negócios e das grandes mudanças que o metaverso pode trazer para as operações. Mas nem tudo são flores. A pesquisa ela também mostra que 31% dos executivos ainda estão céticos quanto ao retorno dos investimentos no metaverso.

Esse olhar cauteloso é fundamental. As oportunidades existem, mas os desafios também. As marcas precisam fazer um planejamento bem estruturado para entrar nesse baile do metaverso. Não basta querer entrar; precisa se planejar.

Um dos grandes desafios será a requalificação de parte da força de trabalho, para que seja aproveitada em vez de competir com o metaverso.

Esse novo roteiro que já está sendo escrito para o metaverso precisa garantir que a experiência seja segura, ética e inclusiva.

Vamos em frente rumo a essa nova plataforma que abrirá um leque de oportunidades na nossa vida e que certamente nos apresentará novos mundos!

Vejo vocês no próximo episódio!

Patricia B. Bordignon Rodrigues é diretora de Marketing e Canais Benkyou.
Imagem: Shutterstock

Patrícia Bordignon Rodrigues

Patrícia Bordignon Rodrigues

Diretora de Marketing e Canais da Benkyou, uma plataforma digital de aprendizado corporativo. Patrícia possui vasta experiência à frente de empresas de tecnologias e de potencialização de canais de vendas como Microsoft, Warner, Sony entre outras. E hoje lidera as iniciativas de desenvolvimento de soluções, canais e marketing da Benkyou.

Relacionados Posts

Próxima Postagem

REDES SOCIAIS

NOTÍCIAS

Bem vindo de volta!

Entre na sua conta abaixo

Recupere sua senha

Digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail para redefinir sua senha.

Add New Playlist

%d blogueiros gostam disto: